Mercado de Seguros: saiba como eles funcionam e quais são seus benefícios para a economia

Mercado de Seguros: saiba como eles funcionam e quais são seus benefícios para a economia

Os seguros são fortes aliados de todos os setores da economia nacional. Isso porque eles oferecem cobertura e gerenciamento de riscos a uma quantidade considerável de bens e vidas, mobilizam poupanças e facilitam investimentos estratégicos, além de contribuir para o Produto Interno Bruto (PIB) do país.

Esses serviços incluem o ressarcimento de perdas, danos físicos ou materiais causados por situações imprevistas, como roubos e furtos, acidentes, morte ou invalidez e, inclusive, prejuízos provocados por desastres climáticos.

Por viabilizar a transferência de riscos para as seguradoras, o seguro garante maior estabilidade e proteção para a continuidade dos negócios em momentos adversos. Resguardando empregos, vidas e renda para diversas famílias, o seguro tem um papel fundamental na economia.

Mas afinal, como os seguros funcionam?

O seguro nada mais é que um contrato (apólice) de transferência de riscos, onde o segurado paga pela cobertura de possíveis danos ou perdas e a seguradora, por sua vez, caso ocorra algum evento coberto, se compromete a ressarcir o segurado dentro dos termos e condições especificados na apólice.

Mais estabilidade para a população e rentabilidade para a economia

De modo geral, os seguros proporcionam o que os economistas chamam de “externalidades positivas”. Ou seja, os efeitos que esses serviços oferecem transbordam para os demais setores da economia, permitindo o incremento do consumo, geram lucros, fomentam a criação de novos empregos e, principalmente, aumentam o bem-estar social.

Segundo dados fechados em 2020 pela Confederação Nacional das Seguradoras (CNSeg), a arrecadação global do setor de seguros cresceu 1,3%. Ao todo, a arrecadação foi de R$ 273,7 bilhões. Desse total, mais de R$ 151 bilhões em sinistros, benefícios, sorteios e resgates retornaram para a população, o que representa um avanço de 8,3% em relação a 2019.

Diante da crise causada pelo Coronavírus, os números surpreendem e animam os especialistas. O que explica o aumento pela busca desses serviços é a necessidade que a população teve em buscar proteções mais amplas, acessíveis e simplificadas, visto que esse novo contexto de instabilidade gerado pela pandemia trouxe inseguranças em diversos aspectos.

Com a alta demanda pela busca de seguradoras e por sua capacidade de adaptação a diferentes cenários, a tendência é que esse mercado continue crescendo em 2021. Outro ponto que mostra boas perspectivas para o setor é o marco regulatório do saneamento, que estima investimentos de R$ 700 bilhões até 2033 em empreendimentos no ramo da construção, que trarão novas oportunidades para o mercado de seguros, além de prever a geração de 700 mil empregos.

Esse cenário de crescimento neste mercado envolve também os seguros cibernéticos, que garantem a proteção da empresa em casos de prejuízos causados por tecnologias. Durante a pandemia, muitas empresas aderiram ao home office e passaram a armazenar em nuvem dados confidenciais, o que as deixou mais vulneráveis a sofrer ataques de hackers e, consequentemente, graves prejuízos.

Entre as situações envolvendo crimes cibernéticos, o Seguro Cyber protege e reembolsa o segurado de fraudes financeiras, sequestro de dados e extorsão, informações falsas, venda de dados confidenciais, espionagem industrial, roubo virtual ou físico de dados e informações, vazamento de dados, entre outros.

Percebeu a necessidade de manter os seus bens, patrimônio ou empresa protegidos contra esses tipos de adversidades? Somente com uma análise detalhada é possível traçar estratégias assertivas para mantê-los protegidos, com uma boa performance e rentabilidade no mercado. Converse com os nossos especialistas e conheça nossas soluções!

social position
×

Clique na ajuda abaixo, você será direcionado(a) para nosso WhatsApp

×